segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Eagles, New kid in town

Anima-me a simplicidade e pacatez desta canção, bem como uns bolinhos de canela que comprei no Pingo Doce e, qual Proust, uma tisana de tília.

..................................................................................

sábado, 13 de dezembro de 2014

2014 em capas de discos

Há alguns anos, enquanto percorria escaparates com os dedos, na tentativa de encontrar algo que me agradasse, deparei-me com uma capa que logo me chamou à atenção. Nela estava desenhado um polvo gigante, ao estilo de Roger Dean, que conhecia através das capas que ele havia feito para os Yes. Não me tinha enganado: decidi pegar nele e trazê-lo para casa onde, depois de o abrir, vi o nome de Roger Dean.
Convém esclarecer que este era o tempo imediatamente antes da democratização da Internet, ou, para o que interessa agora, antes de eu ter Internet, pelo que esta minha compra foi inteiramente feita por instinto. E se neste caso correu bem, tendo sido os Gentle Giant e, particularmente este álbum, Octopus, um dos meus mais valiosos achados (juntamente com o Hats, dos Blue Nile, que comprei em circunstâncias idênticas), houve outros casos em que os negócios correram menos bem, mais concretamente com o Quench, dos Beautiful South. Porém, a força das capas era suficiente para, mesmo tendo algumas más experiências pelo caminho, nunca desanimar.
Actualmente, a força das capas não me leva a comprar discos – há demasiada informação on-line para continuar a comprar às cegas –, mas é um dos pontos que me leva a escolher os discos a que me irei dedicar, de entre os milhentos que saem todos os anos e os ainda mais que saíram desde há décadas.

..................................................................................

01. Kat Edmonson, The big picture
02. Sharon Van Etten, Are we there
03. Scott Walker + Sunn O)), Soused
04. Sam Amidon, Lily-O
05. Amen Dunes, Love
06. Moreno Veloso, Coisa boa
07. Vashti Bunyan, Heartleap
08. Temples, Sun structures
09. U2, Songs of innocence
10. Lloyd Williams, Time
11. Wolves in the Throne Room, Celestite
12. Afghan Whigs, Do the beast
13. Caribou, Our love
14. Liars, Mess on a mission
15. Future Islands, Singles
16. Young the Giant, Mind over matter
17. Museum of Love, Museum of Love
18. S. Carey, Range of light
19. Drive-By Truckers, English oceans
20. Christopher Willits, Opening
21. Oneohtrix Point Never, Commissions I
22. Thurston Moore, The best day
23. Alcest, Shelter
24. Timber Timbre, Hot dreams

..................................................................................

 photo 01-KatEdmonsonThebigpicture.jpg
 photo
02-SharonVanEttenArewethere.jpg
 photo 03-scottosoused-1252014.jpg
 photo 04-SamAmidonLily-O.jpg
 photo 05-AmenDunesLove.jpg
 photo 06-MorenoVelosoCoisaboa.jpg
 photo 07-VashtiBunyanHeartleap.jpg
 photo 08-TemplesSunstructures.jpg
 photo 09-U2Songsofinnocence.jpg
 photo 10-LloydWilliamsTime.jpg
 photo 11-WolvesintheThroneRoomCelestite.jpg
 photo 12-Afghan-Whigs-Do-the-Beast.jpg
 photo 13-caribou.jpg
 photo 14-LiarsMessonamission.jpg
 photo 15-FutureIslandsSingles.jpg
 photo 16-YoungtheGiantMindovermatter.jpg
 photo 17-MuseumofLoveMuseumofLove.jpg
 photo 18-scarey.jpg
 photo 19-Drive-ByTruckersEnglishoceans.jpg
 photo 20-ChristopherWillitsOpening.jpg
 photo 21-OneohtrixPointNeverCommissionsI.jpg
 photo 22-ThurstonMooreThebestday.jpg
 photo 23-AlcestShelter.jpg

 photo 24-TimberTimbreHotdreams.jpg

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

2014 em álbuns

Apercebi-me, aos poucos, de que ouço muito mais álbuns que considero bons ou medianos do que álbuns excelentes. A perfeição ajuda-me a tornar claro aquilo de que gosto, mas, muitas vezes, não me permite a visita ao interior da obra, às lutas por que passaram os artistas, aos compromissos que tiveram de fazer, e, sobretudo, não me dá que pensar no que poderia fazer para melhorar o que estou a ouvir.
A este propósito lembro-me, por exemplo, de ter ouvido muitíssimas vezes o álbum Five miles out, do Mike Oldfield – um disco tépido e a esfriar. Nunca consegui imaginar um resultado melhor do que o cristalizado em disco, mas, enquanto tentava, como que entrei na cabeça de um Oldfield da minha lavra e percebi por que razão aquele disco tinha acabado por soar assim.
2014, por ter sido um ano de poucos álbuns excelentes, levou-me a pensar novamente nisto. KIN (←→), do Pat Metheny Unity Group, é um disco suberbo; contudo, ouvi e penso vir a ouvir muitas mais vezes um álbum como Phosphorescent dream, dos Univers Zero. Para além da guitarra dessincronizada com os restantes instrumentos, no tema que dá título ao álbum, há ainda muitos ritmos estéreis à espera de serem povoados por melodias, ou a pedirem a anexação de ritmos complementares – isto, claro, dentro da minha cabeça.
.................................................................................

.................................................................................

O sistema de qualificação desta lista processa-se em dois planos: um geral, constituído por cinco níveis (de A a F), e um outro, respeitante a cada um desses cinco, constituído por outros três (de A a C). Desta forma penso tornar-se mais óbvio aquilo que penso em relação a cada título, procurando atenuar diferenças entre, por exemplo, o primeiro e o último álbum classificados com AA, e realçá-las entre, por exemplo, o último álbum com a classificação AA e o primeiro com AB.
.................................................................................


[AA] 001. Pat Metheny Unity Group, KIN (←→) (Nonesuch; Jazz);
[AA] 002. Toumani Diabaté & Sidiki Diabaté, Toumani & Sidiki (World Circuit; Música do mundo);
[AA] 003. Alex Mercado Trio, Symbiosis (Fonarte Latino; Jazz);
[AA] 004. Miroslav Vitous Group, Miroslav Vitous Group (ECM; Jazz);
[AA] 005. Trioscapes, Digital dream sequence (Metal Blade; Rock progressivo, Jazz-rock);
[AA] 006. Noura Mint Seymali, Tzenni (Glitterbeat; Música do mundo);

 photo ab_zpsf5d85d52.jpg

[AB] 007. The Vanguard Jazz Orchestra, Overtime: Music Of Bob Brookmeyer (Planet Arts; Jazz, Big band);
[AB] 008. Vashti Bunyan, Heartleap (Fat Cat; Alt-folk);
[AB] 009. Helen Sung, Anthem for a new day (Concord Jazz; Jazz);
[AB] 010. Marius Neset & Trondheim Jazz Orchestra, Lion (ACT; Jazz);
[AB] 011. Marc Perrenoud Trio, Vestry lamento (Double Moon; Jazz);
[AB] 012. Alfredo Rodríguez, The invasion parade (Mack Avenue; Jazz);
[AB] 013. Jason Moran, All rise: A joyful elegy for Fats Waller (Blue Note; Jazz);
[AB] 014. The Cookers, Time and time again (Motéma; Jazz);
[AB] 015. Matthew Shipp, I've been to many places (Thirsty Ear; Jazz);
[AB] 016. Swans, To be kind (Mute; Rock experimental);
[AB] 017. Anonymous 4, David Lang: Love fail (Cantaloupe; Música de câmara);
[AB] 018. Fredrik Kronkvist, Reflecting time (Connective; Jazz);
[AB] 019. Univers Zero, Phosphorescent dream (Arcangelo; Rock in opposition);
[AB] 020. The Bad Plus, Inevitable western (Masterworks; Jazz);
[AB] 021. Owen Pallett, In conflict (Domino; Música electrónica);
[AB] 022. Fred Lipsius, Rhythm, catch 4 (Fred Lipsius; Jazz);
[AB] 023. Billy Childs, Map to the treasure: Reimagining Laura Nyro (Masterworks; Jazz);
[AB] 024. Eno/Hyde, High life (Warp; Música electrónica);
[AB] 025. Yosvany Terry, New throned king (5 Passion; Jazz);
[AB] 026. Ricardo Rocha, Resplandecente (Mbari; Música de câmara);

 photo ac_zpsf7ec2aed.jpg

[AC] 027. Kris Bowers‚ Heroes + Misfits (Concord; Jazz);
[AC] 028. The Nels Cline Singers, Macroscope (Mack Avenue; Música experimental);
[AC] 029. Gustavo Santaolalla, Camino (Masterworks; Música de câmara);
[AC] 030. The Ocular Concern, Sister cities (Portland Jazz Composers’ Ensemble Records; Jazz);
[AC] 031. Thurston Moore, The best day (Matador; Rock alternativo);
[AC] 032. The John Lurie National Orchestra, The invention of animals (Amulet; Jazz, Música experimental);
[AC] 033. Pete McGuinness Jazz Orchestra, Strength in numbers (Summit; Jazz, Big band);
[AC] 034. Animals as Leaders, The joy of motion (Sumerian; Rock progressivo);
[AC] 035. Ibibio Sound Machine, Ibibio Sound Machine (Soundway; Afro-pop);
[AC] 036. IQ, The road of bones (GEP; Rock progressivo, Neo-Prog);
[AC] 037. Andrew McCormack, First light (Edition; Jazz);
[AC] 038. Otis Brown III, The thought of you (Blue Note; Jazz);
[AC] 039. Nir Felder, Golden Age (OKeh; Jazz);

 photo ba_zps5b9a9e47.jpg

[BA] 040. Afro Bop Alliance, Angel eyes (Zoho; Jazz latino);
[BA] 041. Motorpsycho, Behind the Sun (Rune Grammofon; Rock progressivo);
[BA] 042. FKA Twigs, LP1 (Young Turks; Trip-hop, Pop);
[BA] 043. The Antlers, Familiars (Anti;  Slowcore);
[BA] 044. Ambrose Akinmusire‚ The imagined savior is far easier to paint (Blue Note; Jazz);
[BA] 045. Rosanne Cash, The river & the thread (Universal/Blue Note; Country);
[BA] 046. Opeth, Pale communion (Roadrunner; Rock progressivo);
[BA] 047. The Autumn Defense, Fifth (Yep Roc; Folk indie);
[BA] 048. Ryan Adams, Ryan Adams (Columbia; Alt-country; Rock);
[BA] 049. The John Steel Singers, Everything's a thread (Dew Process; Rock indie);
[BA] 050. Danilo Perez, Panama 500 (Mack Avenue; Jazz latino);
[BA] 051. Regina Carter, Southern confort (Sony; Música do mundo);
[BA] 052. Perfume Genius, Too bright (Turnstile; Pop);
[BA] 053. Scott Walker + Sunn O)), Soused (4AD; Drone);
[BA] 054. tUnE-yArDs, Nikki Nack (4AD; Pop);
[BA] 055. Jim Campilongo, Dream dictionary (Blue Hen; Rock);
[BA] 056. Third Coast Kings, West Grand Boulevard (Record Kicks; Funk);
[BA] 057. Kelis, Food (Ninja Tune; Pop);
[BA] 058. Sunn 0))) & Ulver, Terrestrials (Southern Lord; Drone);
[BA] 059. Linda Perhacs, The soul of all natural things (Asthmatic Kitty; Folk indie);
[BA] 060. California Breed, California Breed (Frontiers; Hard-rock);
[BA] 061. Ledisi, The truth (R&B; Verve);
[BA] 062. Tinariwen, Emmaar (Wedge; Desert blues);
[BA] 063. Annie Lennox, Nostalgia (La Lennoxa; Pop);

 photo bb_zps2b58ef71.jpg

[BB] 064. Beck, Morning phase (Capitol; Pop);
[BB] 065. Andre de Ridder & Copenhagen Philharmonic Orchestra, Bryce Dessner: St. Carolyn by the sea;  Jonny Greenwood: Suite from «There will be blood» (Deutsche Grammophon; Música de câmara);
[BB] 066. Cava Menzies & Nick Phillips, Moment to moment (Nick Phillips Music; Jazz);
[BB] 067. Marianne Faithfull, Give my love to London (Naïve; Pop);
[BB] 068. Willie Nelson, Band of Brothers (Sony Legacy; Country);
[BB] 069. The North, Slow down (This isn't the Mainland) (Dowsett; Jazz);
[BB] 070. Paul Bollenback, Portraits in space and time (Mayimba; Jazz);
[BB] 071. James Vincent McMorrow, Post tropical (Vagrant; Folk-rock indie);
[BB] 072. The Bad Plus, The rite of Spring (Masterworks; Jazz);
[BB] 073. Jeff Ballard Trio, Time's tales (OKeh; Jazz);
[BB] 074. Wishbone Ash, Blue horizon (Intergroove; Rock);
[BB] 075. David Crosby, Croz (Blue Castle; Folk rock);
[BB] 076. The War on Drugs, Lost in the dream (Secretly Canadian; Rock);
[BB] 077. Monty Alexander, Rass (EDEL; Jazz);
[BB] 078. José James, While you were sleeping (Blue Note; Jazz);
[BB] 079. Transatlantic, Kaleidoscope (Inside Out; Rock progressivo);
[BB] 080. Todd Terje, It's album time (Olsen; Nu disco, Música electrónica);
[BB] 081. Sensible Soccers, 8 (Groovement; Música minimal electrónica);

 photo bc_zps2d041992.jpg

[BC] 082. Leonard Cohen, Popular problems (Sony; Pop);
[BC] 083. A Sunny Day In Glasgow, Sea when absent (Lefse; Shoegaze);
[BC] 084. Jerome Sabbagh, The turn (Sunnyside; Jazz);
[BC] 085. Cambodian Space Project, Whisky Cambodia (Metal Postcard; Pop);
[BC] 086. Amen Dunes, Love (Sacred bones; Folk-rock indie);
[BC] 087. Elbow, The take off and landing of everything (Polydor; Rock);
[BC] 088. Damien Jurado, Brothers and sisters of the eternal son (Secretly Canadian; Folk indie);
[BC] 089. James Yorkston, The Cellardyke Recording and Wassailing Society (EMI; Alt-folk);
[BC] 090. Rebirth Brass Band, Move your body (Basin Street; Brass, Jazz);

 photo ca_zps736ca008.jpg

[CA] 091. Aurelio, Lándini (Real World; Música do mundo);
[CA] 092. Reigning Sound, Shattered (Merge; Pop-rock);
[CA] 093. Spoon, They want my soul (Headz Under; Rock indie);
[CA] 094. Toni Braxton & Babyface, Love, marriage & divorce (Motown; Pop);
[CA] 095. Uriah Heep, Outsider (Frontiers; Hard rock);
[CA] 096. Pink Floyd, The endless river (Rhino; Rock progressivo);
[CA] 097. Benjamin Booker, Benjamin Booker (Rough Trade; Rock);
[CA] 098. Moreno Veloso, Coisa boa (Luaka Bop; Pop);
[CA] 099. Avi Buffalo, At best cuckold (Sub Pop; Pop-rock indie);
[CA] 100. How To Dress Well, What is this heart? (Domino; Pop indie);
[CA] 101. Earth, Primitive and deadly (Southern Lord; Stoner);
[CA] 102. Capitão Fausto, Pesar o Sol (SME; Rock indie);
[CA] 103. Bob Mould, Beauty & ruin (Merge; Rock, Pós-punk);
[CA] 104. Mastodon, Once more 'round the sun (Warner Bros.; Metal progressivo, Sludge);
[CA] 105. The Afghan Whigs, Do to the beast (Sub Pop; Rock);
[CA] 106. Echo & the Bunnymen, Meteorites (429 Records; Rock indie);

 photo cb_zpsbe67940a.jpg

[CB] 107. Mac DeMarco, Salad days (Captured Tracks; Pop/rock indie);
[CB] 108. Carla Bozulich, Boy (Constellation; Música experimental, Pós-rock);
[CB] 109. Burnt Ones, Gift (Castle Face; Rock psicadélico, Shoegaze);
[CB] 110. Angel Olsen, Burn your fire for no witness (Jagjaguwar; Folk indie);
[CB] 111. Kelly Willis & Bruce Robison, Our year (Premium; Country);
[CB] 112. Goldings/Bernstein/Stewart, Ramshackle serenade (Pirouet; Jazz);
[CB] 113. Paus, Clarão (Universal; Rock);
[CB] 114. Casualties of Cool, Casualties of Cool (HevyDevy; Música ambiental);
[CB] 115. Dawn Landes, Bluebird (Western Vinyl; Folk indie);
[CB] 116. Tony Bennett / Lady Gaga, Cheek to cheek (Columbia; Jazz);
[CB] 117. Overkill, White devil armory (Nuclear Blast; Thrash metal);
[CB] 118. The Souljazz Orchestra, Inner fire (Strut; Jazz, Música do mundo);
[CB] 119. Yelena Eckemoff Quintet, A touch of radiance (Yelena Eckemoff; Jazz);
[CB] 120. Mão Morta, Pelo meu relógio são horas de matar (Valentim de Carvalho; Rock);
[CB] 121. The Motet, The Motet (The Motet; Funk);
[CB] 122. Rodrigo Amado Wire Quartet, Wire Quartet (Clean Feed; Free jazz);
[CB] 123. Soreption, Engineering the void (Unique Leader; Death Metal);
[CB] 124. Lala Njava, Malagasy blues song (World Music Network; Música do mundo);
[CB] 125. St. Vincent, St. Vincent (Universal; Pop);
[CB] 126. Joana Machado, Blame it on my youth (Parlophone; Jazz);
[CB] 127. Neil Young, Storytone (Reprise; Big band, Música orquestral);
[CB] 128. Ian Anderson, Homo Erraticus (Kscope; Rock progressivo);
[CB] 129. The Ghost of a Saber Tooth Tiger, Midnight sun (Chimera; Pop/rock);
[CB] 130. Aphex Twin, Syro (Warp; IDM);
[CB] 131. Júlio Pereira, cavaquinho.pt (Tradisom; Folk, Música do mundo);
[CB] 132. Fem Prog Band, Sulla bolla di sapone (Altrock/Fading; Rock progressivo italiano);
[CB] 133. Ace Frehley, Space invader (eOne; Rock);
[CB] 134. Perfect Beings, Perfect Beings (My Sonic Temple; Rock progressivo);
[CB] 135. Lloyd Williams, Time (Beste!Unterhaltung; Folk indie);
[CB] 136. Brian Reitzell, Auto music (Smalltown Supersound; Música experimental);
[CB] 137. Nostalgia 77, A journey too far (Tru Thoughts; Jazz);
[CB] 138. Sun Kil Moon, Benji (Caldo Verde; Folk indie);
[CB] 139. Sharon Jones & The Dap-Kings, Give the people what they want (Daptone; Soul);
[CB] 140. Real Estate, Atlas (Domino; Rock indie);
[CB] 141. Suzanne Vega, Tales from the realm of the Queen of Pentaclesc (Cooking Vinyl; Pop);
[CB] 142. Sharon Van Etten, Are we there (Jagjaguwar; Pop-rock indie);
[CB] 143. Neneh Cherry, Blank project (Warner Bros.; Pop);
[CB] 144. Temples, Sun structures (Heavenly; Pop-rock);
[CB] 145. Brad Mehldau/Mark Guiliana, Mehliana: Taming the dragon (Nonesuch; Jazz);
[CB] 146. The Danny Petroni Blue Project featuring Frank Lacy, The Blue Project (DPS; Blues, Jazz);
[CB] 147. Bruce Springsteen, High hopes (Columbia; Rock);
[CB] 148. Kylie Minogue, Kiss me once (Parlophone; Pop);
[CB] 149. Dream The Electric Sleep, Heretics (DTES; Rock);
[CB] 150. EMA, The future's void (Matador; Música experimental);
[CB] 151. Chris Robinson Brotherhood, Phosphorescent harvest (Silver Arrow; Rock);
[CB] 152. Violons Barbares, Saulem ai (Harmonia Mundi; Música do mundo);

 photo cc_zps269d279f.jpg

[CC] 153. U2, Songs of innocence (Island; Pop/Rock);
[CC] 154. Christopher Willits, Opening (Ghostly International; Drone);
[CC] 155. Vader, Tibi et Igni (Nuclear Blast; Death metal);
[CC] 156. Black Label Society, Catacombs of the Black Vatican (Mascot; Hard-rock);
[CC] 157. Carlene Carter, Carter girl (Rounder; Alt-Country);
[CC] 158. David Kilgour & The Heavy Eights, End times undone (Merge; Rock indie);
[CC] 159. alt-J, This is all yours (Infectious Music; Pop indie);
[CC] 160. The Pearlfishers, Open up your coloring book (Marina; Pop/rock);
[CC] 161. Yes, Heaven & Earth (Frontiers; Rock, Rock progressivo);
[CC] 162. Phish, Fuego (Jemp; Rock);
[CC] 163. Jordan Rudess, Explorations (Jordan Rudess; Rock progressivo, Música orquestral);
[CC] 164. Nicola Conte, Free souls (Schema; Smooth jazz);
[CC] 165. Ari Herstand, Brave enough (Proud Honeybee; Pop);
[CC] 166. Perfect Pussy, Say yes to love (Captured Tracks; Punk rock);
[CC] 167. Peter Hammill/Gary Lucas, Other world (Esoteric; Rock);
[CC] 168. Wolves in the Throne Room, Celestite (Artemisia/Revolver; Drone);
[CC] 169. Caribou, Our love (City Slang; Música electrónica);
[CC] 170. Drive-By Truckers, English oceans (ATO; Rock sulista, Rock alternativo);
[CC] 171. Dead Combo, A bunch of meninos (Dead & Company; Rock, Outro);
[CC] 172. You Can't Win, Charlie Brown, Diffraction/Refraction (Pataca; Pop);

 photo da_zps3e56ac8f.jpg

[DA] 173. Bill Pritchard, A trip to the coast (Tapete; Pop-rock);
[DA] 174. Future Islands, Singles (4AD; Pop indie);
[DA] 175. Paul Gilbert, Stone pushing uphill man (Mascot; Rock);
[DA] 176. Medeski Scofield Martin & Wood, Juice (OKeh; Jazz);
[DA] 177. Anathema, Distant satellites (Kscope; Rock progressivo);
[DA] 178. The Legendary Tiger Man, True (Metropolitana; Rock);
[DA] 179. Mirel Wagner, When the cellar children see the light of day (Sub Pop; Folk indie);
[DA] 180. Behemoth, The satanist (Metal Blade; Death metal);
[DA] 181. Shit Robot, We got a love (DFA; House);
[DA] 182. Wild Beasts, Present tense (Domino; Pop indie);
[DA] 183. Synaesthesia, Synaesthesia (GEP; Rock progressivo);
[DA] 184. Liars, Mess (Mute; Electrónica indie);
[DA] 185. Monte Pittman, The power of three (Metal Blade; Heavy metal);
[DA] 186. Cynic, Kindly bent to free us (Season of Mist; Metal progressivo);
[DA] 187. Game Over, Burst into the quiet (Scarlet; Thrash metal);
[DA] 188. Druckfarben, Second sound (Druckfarben; Rock progressivo);
[DA] 189. Capicua, Sereia louca (Valentim de Carvalho; Rap);

 photo db_zps76dcd77b.jpg

[DB] 190. Hospitality, Trouble (Merge; Pop indie);
[DB] 191. Ben Frost, Aurora (Bedroom Community; Música electrónica);
[DB] 192. The Bug, Angels and devils (Ninja Tune; Electrónica indie);
[DB] 193. Judas Priest, Redeemer of souls (Sony; Heavy metal);
[DB] 194. Wilko Johnson/Roger Daltrey, Going back home (UMC; Rock);
[DB] 195. Manic Street Preachers, Futurology (Sony; Rock);
[DB] 196. Electric Wizard, Time to die (Spinefarm; Stoner Metal);
[DB] 197. Nothing, Guilty of everything (Relapse; Shoegaze);

 photo dc_zpsb0b061cb.jpg

[DC] 198. Bombay Bicycle Club, So long, see you tomorrow (Island; Pop);
[DC] 199. Joan As Police Woman, The classic (Play It Again Sam; Pop-rock indie);
[DC] 200. The Go Find, Brand new love (Morr; Pop indie);
[DC] 201. D'Alva, #batequebate (D'Alva; Pop);
[DC] 202. With Our Arms to the Sun, A far away wonder (Unconfined Ideas; Metal progressivo);
[DC] 203. Buraka Som Sistema, Buraka (Enchufada; Kuduro);
[DC] 204. White Haus, The White Haus Album (White Haus; Pop);
[DC] 205. Ginger Baker, Why? (Motéma Music; Jazz rock);
[DC] 206. Alcest, Shelter (Prophecy; Rock);
[DC] 207. Goat, Comune (Rocket; Pop indie);
[DC] 208. Julie Byrne, Rooms with walls and windows (Orindal; Folk indie);
[DC] 209. Asia, Gravitas (Frontier; Rock);
[DC] 210. Hibernal, Replacements (Hibernal; Pós-rock);
[DC] 211. Bruno Pernadas, How can we be joyful in a world full of kowledge? (Pataca; Pop de câmara);
[DC] 212. Have a Nice Life, Deathconsciousness (Flenser; Shoegaze);
[DC] 213. Sara Paço, Waking up the drums (Valentim de Carvalho; Pop);
[DC] 214. Hail Spirit Noir, Oi Magoi (Code 666; Metal progressivo);

 photo ea_zpsbcb6ab45.jpg

[EA] 215. Major Parkinson, Twilight Cinema (Major Parkinson; Rock progressivo);
[EA] 216. Don Airey, Keyed up (Music theories; Rock);
[EA] 217. iamthemorning, Belighted (Kscope, Rock progressivo);

 photo fb_zps6ab225c2.jpg

[FB] 218. Spleen Arcana, The light beyond the shades (Spleen Arcana; Rock progressivo);
[FB] 219. Spiral, Our final days on Bellicus Prime (Chris Boat/Aaron Frale; Rock progressivo).

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Led Zeppelin, Black dog


Acabei de ver um cão preto. Cantei-lhe baixinho «Hey, hey, mama, said the way you move». Ficou especado a olhar para mim.

..................................................................................

terça-feira, 25 de novembro de 2014

2014 em temas


Esta lista podia ter sido tirada a papel químico do alinhamento do meu álbum favorito deste ano. Gosto muito de todos os temas e teria, por certo, muito a dizer sobre cada um deles. No entanto, ao fazer esta selecção tive em conta outro aspecto que me interessa muito mais do que o razoavelmente simples gostar, e que tem a ver com o achar poderem ser estes os temas que mais facilmente ouvirei no futuro por considerar terem uma especial relevância para o agora.

..................................................................................

01. Rennée Fleming, Yo-Yo Ma & Billy Childs, New York Tendaberry
Do álbum Map to the treasure: Reimagining Laura Nyro



«New York Tendaberry» é uma canção de 1969, mas, de certa forma, também é de 2014, uma vez que esta versão lhe abre perspectivas que não existiam no original de Laura Nyro. Ao contrário do fizeram, também este ano, os The Bad Plus com A sagração da Primavera, uma versão que reduz a peça de Stravinsky às bases que fazem funcionar a peça original, Billy Childs decidiu, não só seguir algumas sugestões presentes na versão de Nyro, como ir além desta em algumas partes. E se o papel de Rennée Fleming se resume a ancorar uma versão à outra, a contribuição de Yo-Yo Ma dá a esta aquilo que a torna muito mais do que uma curiosidade.

..................................................................................

02. Pat Metheny Unity Group, Sign of the season
Do álbum KIN (←→)

Pat Metheny Unity Group, KIN (←→)

A carreira do Pat Metheny tem alternado entre períodos em que anda mais perto do jazz tradicional e períodos em que está mais permeável a outros universos que mescla de forma a nunca perder um cunho pessoal. E se imagino que esta continuidade na alternância sirva bastante bem os ouvintes que lhe vão seguindo a carreira, aos detractores, a previsibilidade, quiçá associada ao sucesso, é nada menos do que deplorável. Demais a mais foram opiniões desse tipo que motivaram o próprio Metheny a lançar, em 1994, Zero tolerance for silence, um álbum com cinco peças para guitarra solo, cujo som abrasador originou comentários bastante entusiásticos por parte de Thurston Moore, então dos Sonic Youth, e que quebrou radicalmente esta alternância – ainda mais do que a sua colaboração com Ornette Coleman, em Song X, ou com Derek Bailey, em The sign of 4.
Tempos mais próximos, porém, têm trazido o guitarrista de volta aos territórios que melhor se lhe conhecem. E se a surpresa há muito se perdeu, a qualidade da execução e, principalmente, a qualidade da escrita têm evoluído, adquirindo subtilezas que antes não se lhe ouviam. Este «Sign of the season» é, de entre os temas de KIN (←→), o melhor exemplo disso, à parte de também ser um brilhante exercício de gestão de material musical.

..................................................................................

03. Marc Perrenoud Trio, Igor
Do álbum Vestry lamento



Apesar de já ter alguns álbuns gravados, e de ter sido agraciado com algumas distinções dignas de nota, como o Montreux Jazz Chrysler Award, em 2003, Marc Perrenoud só agora começa a ver o seu trabalho ser reconhecido internacionalmente, tendo o seu álbum mais recente, Vestry lamento, lançado internacionalmente este ano, recebido uma crítica muito elogiosa na distintíssima revista Downbeat.
De resto, ao ouvir a fluidez de «Igor», segundo tema desse disco, é fácil entender o entusiasmo. O que não se percebe muito bem é onde acaba a composição e começa o improviso, ou se tudo é composição tal como era do agrado de Debussy, dando a impressão de uma improvisação. Certo é que este trio, que conta ainda com Marco Müller, no contrabaixo, e Cyril Regamey, na bateria, consegue arrancar de uma composição como «Igor», que muitos teriam dificuldade de levar por diante, uma ligeireza que lhes parece, simplesmente, escorrer dos dedos.

..................................................................................

04. Motorpsycho, Kvæstor (including Where greyhounds dare)
Do álbum Behind the sun



Os Motorpsycho têm, desde que os descobri em 2010, com o álbum Heavy metal fruit, sido bastante frutíferos na sua produção musical. E ainda que fosse expectável que a fonte de ideias não acompanhasse, na mesma medida, a calendarização das edições, o certo é que todos os discos são bastante interessantes e até, como aconteceu com o The death defying unicorn, de 2012, arriscados e excepcionalmente pululantes de criatividade.
O álbum deste ano, Behind the sun, segue de perto o de 2013, Still life with eggplant, sendo nessa medida um esforço ligeiramente inferior. No entanto, é-o apenas nessa perspectiva, uma vez que os seus créditos estão bem firmados em faixas como «Cloudwalker (A darker blue)», «Hell, Pt. 4-6: Traitor/The tapestry/Swiss cheese mountain» e, especialmente, nesta «Kvæstor [Incl. Where the greyhounds dare]» - um instrumental repleto de guitarras que, volta e meia, se servem de um riff maquinal proveniente de um teclado para dispararem a melhor linha melódica que o rock tem para oferecer este ano.

..................................................................................

05. Vashti Bunyan, Holy Smoke
Do álbum Heartleap



Há uma frase na canção «Chimacum rain», de Linda Perhacs, que descreve maravilhosamente «Holy smoke», de Vashti Bunyan. Nela, Perhacs canta «I'm seeing silence between leaves», e, ao fazê-lo, canta sobre esse mesmo espaço sem forma definida, feito de pequenos contrastes e de muitas outras subtilezas onde também habita esta canção de Vashti Bunyan.
Uma sensibilidade tal para o momentâneo, para o irrepetível que se colhe agora e se processa a seu tempo, só se podia traduzir, aliás, em carreiras longas com discografias curtíssimas, quer para Vashti Bunyan, quer para Linda Perhacs, assinando ambas, este ano, aqueles que se prevêem ser os seus derradeiros álbuns, Heartleap e The soul of all natural things, registos número três e dois, respectivamente, de carreiras com mais de quarenta anos.
..................................................................................

06. Marius Neset & Trondheim Jazz Orchestra, In the ring
Do álbum Lion



A primeira impressão que se tem ao ouvir «In the ring», de Marius Neset, é a de que se está perante um novo Michael Brecker, o que, aliás, até é incentivado pela editora de Lion, a ACT, que promove o disco, e o saxofonista em particular, com uma citação do The Guardian que o descreve como sendo possuidor, tanto da pujança de Brecker, como da delicadeza de Jan Garbarek.
Todavia, algumas audições mais tarde, é possível perceber que de Brecker, Neset apenas herdou o tom e uma certa forma de enfrentar as peças, como o recurso aos ostinatos que se podem ouvir um pouco por toda a duração de «In the ring». Quanto a Jan Garbarek, esqueçam. É outra coisa.

..................................................................................

07. Univers Zero, Phosphorescent dream
Do álbum Phosphorescent dream

Univers Zero, Phosphorescent dream

Ainda que dos Univers Zero nada possa suplantar o magnífico Heresie, de 1979, é sempre um bom investimento ouvir o que de novo esta banda belga tem para mostrar. E se os álbuns mais recentes revelavam uma certa estagnação, em Phosphorescent dream, agora com Antoine Guenet nos sintetizadores, e Nicolas Duchêne na guitarra, os Univers Zero voltam, novamente, a ser pertinentes. No tema que fecha o disco seu homónimo, em especial, a banda regressa a um negrume que já lhe foi mais característico, e que é agora pontuado por uma guitarra que, embora não perfeitamente sincronizada com os restantes instrumentos, no início do tema, tem o condão de funcionar como se de um instrumento de um ensemble de música contemporânea se tratasse, quando seria tão fácil estragar o retrato com o tom errado, um volume despropositado ou, tão-somente, a falta de moderação.